Você teria um minuto para ouvir a palavra da lowcarb?
16116
post-template-default,single,single-post,postid-16116,single-format-standard,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive

Você teria um minuto para ouvir a palavra da lowcarb?

Você teria um minuto para ouvir a palavra da lowcarb?

Luide ficou conhecido por perder 50kg em nove meses e por colocar essa dieta entre suas principais pautas.

“Sou uma espécie de pastor da lowcarb”, diz Luide Matos, em tom de brincadeira. Essa é uma das falas que encerra o episódio “O que é essa tal de lowcarb?”, de seu podcast Rebobinando. O interessante é que, assim como o podcast, seu site Amigos do Fórum trata de cultura pop, um tema nada relacionado à nutrição.

Por qual motivo o Rebobinando, que é destinado a falar de filmes e séries, dedica vários episódios à lowcarb? Porque isso mostra o que Luide se tornou para seu público: um exemplo de êxito no emagrecimento e manutenção do peso; ou, como ele mesmo diz: um “pastor da lowcarb”.

 

 

“Eu tenho um público que acompanha meus projetos e  que se assustou quando eu mostrei resultados inacreditáveis: perder 50kg em nove meses, sem cirurgia, sem remédios e sem exercícios”, conta. Foi através desse espanto e admiração pela mudança de Luide que muitos fãs se interessaram pelo assunto. E isso é notável, principalmente, na sua conta do Twitter, que hoje tem 56 mil seguidores.

Foi por meio do Twitter que ele descobriu a lowcarb, quando um amigo falou sobre o assunto. Foi também nessa rede onde ele compartilhou os resultados, defendeu a dieta e a recomendou ao seu público.

“Muita gente tentou a lowcarb, muita gente conseguiu ter bons resultados e muita gente desistiu. Mas aqueles que perceberam que dá pra ter qualidade de vida comendo bem, estão todos felizes”, aponta. E, quando questionado sobre fãs que seguiram seu exemplo e tiveram sucesso, relata: “Conheço, no mínimo, uns 15 caras que perderam entre 40 e 50 kg depois que viram minha experiência”.

Apesar de conversar com seu público e conhecer casos de sucesso nos quais influenciou diretamente, ele brinca: “sou um péssimo exemplo, já que não tenho nenhuma história de superação: eu apenas parei com carboidratos, simples, e fim”. Por mais fácil que Luide faça parecer, a dieta se baseia justamente na redução do consumo de carboidratos e no controle de gorduras e proteínas.

 

Processo

Por mais que a lowcarb tenha aparecido por acaso na sua vida, ou timeline, melhor dizendo, o que realmente motivou Luide a iniciar a dieta já estava presente no seu cotidiano: sua filha, Alice. Isso porque, quando ele tinha 11 anos, seu pai, com 42, sofreu um infarto decorrente do excesso de gordura na alimentação. Meu pai morreu por falta de informação e o mesmo não podia acontecer comigo”, declara.

Nesse momento ele não se sentia confortável com seu corpo, mas as consequências do excesso de peso já estavam além disso: “Eu estava com 123 kg, sentia fortes dores no joelhos, dormia mal, além de estar próximo de desenvolver doenças como o diabetes tipo 2”, revela. Foi a partir desse quadro e com sua filha em mente que ele se motivou a mudar o estilo de vida. 

Assim que conheceu a lowcarb, em dezembro de 2017, iniciou a dieta e passou duas semanas devorando conteúdos sobre o assunto, principalmente do Doutor José Carlos Souto. Foram dias lendo e ouvindo podcasts sobre o assunto até que, em 29 de dezembro, ele pesou-se e estava com 112 kg, 11 a menos, em menos de um mês. “Nesse ponto o corpo já havia se acostumado a queimar a gordura como fonte de energia, e isso aliado à minha disciplina foi um lance absurdo”, relata.

 

 

Antes de iniciar a dieta, sua alimentação era marcada pelo consumo excessivo de carboidratos refinados e industrializados. Entretanto, ele relata como conseguiu se adaptar: “não tive dificuldades porque amo proteína e gosto de verduras. O único processo que foi mais trabalhoso foi eliminar 100% o açúcar do meu café”. Com o tempo, até mesmo essa dificuldade inicial foi resolvida com a mudança de hábitos. Quando se deu conta, ele já não suportava mais o que hoje chama de “gosto doce desnecessário”. 

Luide passou a conhecer melhor seu corpo e se interessar por conceitos básicos de nutrição. “Hoje não como nada que seja ultraprocessado. Cozinho meus próprios alimentos e pratico atividade física regularmente”, conta. Antes da dieta, ele fazia pequenas caminhadas, mas quando iniciou a lowcarb passou a fazer musculação. Conforme emagreceu, a disposição em malhar e correr aumentaram.

Mesmo com uma rotina de academia, ele opina: “Exercício físico por si só dificilmente te fará perder 50kg, como foi meu caso”. Isso porque Luide faz questão de lembrar que não foi apenas a atividade física que o ajudou a emagrecer, mas um conjunto de mudanças de hábitos que adotou e manteve.

Um dos receios de Luide, ao iniciar a dieta, era ficar com fome e não conseguir levá-la adiante. O fato da lowcarb permitir que ele comesse sempre que sentisse fome, desde que tivesse baixa ou nenhuma quantidade de carboidrato, foi uma das coisas que mais o atraiu e surpreendeu. “A lowcarb se encaixou perfeitamente na minha rotina”, aponta. 

Tanto seu público, como pessoas próximas a ele, não acreditavam como ele emagrecia, dormia satisfeito e não sentia falta de nenhum alimento. “Passei a dormir bem, passei a brincar melhor com minha filha, passei a ter disposição”, lembra.

Luide não sentiu falta dos alimentos que cortou, nem teve recaídas, o que fez a dieta funcionar de modo mais fácil. Prova disso é que passou meses sem comer pizza e mais de um ano sem macarrão. No lugar disso, ele passou a ter um cardápio variado e incluiu alimentos como purê de abóbora, queijo parmesão e bife. 

 

Por que parou?

Ele começou a engordar aos 10 anos, e esse era um dos motivos que o levava a pensar que nunca conseguiria emagrecer. No episódio recente de seu podcast, citado lá no início, Luide contou que não imaginava chegar nesse resultado, num peso em que se sentiria confortável.

Após nove meses de dieta e 50 kg a menos, Luide decidiu interrompê-la. O principal motivo para isso foi a melhora na sua saúde e qualidade de vida. “A lowcarb é indicada, principalmente, para dois grupos: obesos e diabéticos tipo 2. Não estou mais nesse grupo”, conta. 

Não tem como ter um resultado melhor que isso”, resume. E essa opinião não se deve apenas aos quilos perdidos. “A lowcarb me ensinou que boa saúde não é comer bolachinha integral de três em três horas, mas sim, consumir comida de verdade e respeitar sua própria fome”.

Agora que chegou aos 73 quilos, Luide começou uma dieta para não exagerar nos carboidratos, e isso não por um trauma deles, mas porque hoje conhece seu corpo e como ele reage a essas moléculas. Além disso, sua nova dieta visa melhorar os resultados alcançados pela lowcarb. Como ele conta, seu corpo “ficou só carne e osso”, por isso o novo objetivo é “preencher esse vácuo que ficou com o máximo de músculo que conseguir”.

Apesar de não seguir mais a dieta, ele diz manter o modo de encarar a alimentação adquirido nesses nove meses: “A mentalidade lowcarb ainda me acompanha: não consumo açúcar, trigo só de vez em nunca, [dou] prioridade pra comida de verdade, cozinho meus alimentos, consumo muitos vegetais e não tomo mais refrigerantes. No fim das contas, lowcarb é simplesmente voltar os olhos para comida de verdade. Nada mais do que isso”.

Outro legado que a lowcarb deixou na vida de Luide foi em sua própria imagem. Hoje não apenas o público o encara como o “pastor da lowcarb”, como também outros podcasters o convidam para falar sobre a dieta e sua experiência.

 

Com tudo isso, fica fácil notar que, após a lowcarb, não foi apenas o peso ou a alimentação de Luide que mudaram. Quando se é produtor de conteúdo, mesmo que seja sobre filmes e séries, o público e o próprio conteúdo mudam junto. E hoje, quase um ano após ter finalizado a dieta, uma coisa é certa: o pastor da lowcarb ainda não terminou sua pregação.

 

Foto destaque: Arquivo pessoal @luide.

No Comments

Post A Comment