TESTE: Você sabe o que vai nessa salsicha?
15579
post-template-default,single,single-post,postid-15579,single-format-standard,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive

TESTE: Você sabe o que vai nessa salsicha?

TESTE: Você sabe o que vai nessa salsicha?

Ingredientes misteriosos e efeitos pouco conhecidos que rondam o seu hotdog


Imagine que você está com fome e resolve comer uma mistura composta por sobras dos cortes tradicionais do boi, frango e porco. Imagine que, além disso, ela está embalada em tripas naturais ou de plástico e é rica em sódio. Injete um pouco de gordura e, para dar um toque final, adicione uma pitada de sal, alho e cebola.

Achou a mistura estranha? Essa é a receita básica de qualquer embutido, como salsichas, mortadelas, linguiças, salames, presuntos e uma série de outros alimentos que provavelmente você já comeu ao menos uma vez.

Se a descrição dessa mistura aparenta ser algo que ninguém comeria, por qual motivo ela é consumida? Para a nutricionista Suellen Rodrigues, um dos motivos é que o alto processamento deixa os alimentos com sabor mais forte e aceitável.

Para testar seus conhecimentos e descobrir um pouco mais sobre o que tem dentro do embutido que você come, acompanhe as perguntas e explicações que a SerVida preparou para você.

 

Você sabe o que vai nessa salsicha?

Qual o principal problema dos embutidos?

Outros ingredientes
A qualidade da carne

Resposta:

Suellen Rodrigues conta que a motivação principal para a indústria alimentícia produzir embutidos é aproveitar partes que inicialmente seriam descartadas. Entre elas, estão carnes, peles ou vísceras de bovinos, suínos, caprinos, ovinos, equinos, aves, peixes ou frutos do mar. “São chamados assim pois são embutidos sob pressão em recipientes metálicos de diversas formas: arredondada, retangular, quadrada, etc”, conta. Entretanto, o questionamento principal dos nutricionistas não é quanto à qualidade das carnes utilizadas, mas sim sobre outros ingredientes incluídos no processo.


O que torna os embutidos mais suculentos?

Tripas
Gordura

Resposta:

A gordura contribui para o sabor, textura e suculência do produto. Entretanto, Suellen Rodrigues diz que essa é uma das vilãs incluídas nos embutidos, tendo em vista que uma das causas de doenças como o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é o entupimento das artérias, gerado pelo consumo e acúmulo de gorduras não saudáveis no organismo. Outras doenças que podem ser desencadeadas por esse consumo são a obesidade e a diabetes tipo 2, essa segunda pois a aglomeração de gorduras pode dificultar a função da insulina.

 

Qual ingrediente dos embutidos está mais diretamente relacionado à hipertensão?

Sódio
Fosfato

Resposta:

“Atualmente existe uma grande preocupação com a ingestão de sódio em excesso. Doenças cardiovasculares e hipertensão arterial, na maioria das vezes, estão correlacionadas ao excesso de peso e a alta ingestão de sódio”, explica a mestre em Engenharia de Alimentos, Lilian de Cassia Santos Victorino.

Segundo Lilian, o cloreto de sódio (NaCl) é um dos ingredientes mais comuns na produção de um produto cárneo. Ele realça o sabor dos embutidos, além de ajudar na conservação do produto e dissolução de proteínas. “Desempenha um papel importante na capacidade de ligação de água e gordura, cor e sabor”, conta. Apesar de ser necessário nesse processo, o sódio é considerado pelos nutricionistas como a principal causa da hipertensão.

Já os fosfatos têm a função de melhorar a capacidade de retenção de água do produto e atribuir as características da textura.

 

Qual a função do nitrato e do nitrito de sódio?

Acelerar o processo de cura
Inibir bactérias e dar cor aos alimentos

Resposta:

Durante a produção eles são reduzidos a óxido nitroso, que tem a função de inibir o desenvolvimento de bactérias letais, além de conferir a cor característica desses produtos. “É importante ressaltar que os aditivos nitrato e nitrito são utilizados em níveis tão baixos que não comprometem a saúde do consumidor”, diz Lilian Victorino.

Já a responsabilidade de acelerar o processo de cura é dos antioxidantes, que também garantem a redução do nitrito no composto, enquanto a de aumentar a retenção de água e melhorar o rendimento no cozimento é dos extensores e agentes ligantes. Eles também modificam a textura e melhoram a estabilidade durante o congelamento. De acordo com Lilian: “podem ser constituídos por proteínas animais, tais como gelatina, derivados de soro de leite, caseinatos ou proteínas vegetais, tais como o isolado protéico de soja”.


Que outros efeitos os embutidos podem gerar em quem os consome?

Aumento da insulina no organismo
Carência nutricional

Resposta:

Além das doenças já mencionadas, os embutidos podem gerar outros efeitos em quem os consome, como a digestão mais lenta, devido à quantidade de conservantes. Há também a possibilidade de carência nutricional, pois esses alimentos são consumidos como substitutos de carnes, mas, ao contrário destas, são pobres em proteínas, o que gera a queda de hemoglobina, anticorpos, certos hormônios, como a insulina, e enzimas.

Com esse cenário de embate entre a indústria alimentícia e nutricionistas, surgem alternativas para a produção de embutidos. Victorino conta que existe uma demanda crescente para a utilização de produtos naturais, o que tem motivado pesquisas para a substituição dos ingredientes questionados.


Há estudos que buscam alternativas para substituir qual ingrediente dos embutidos?

Gordura
Carne

Resposta:

Existem pesquisas que visam, por exemplo, a redução da gordura sem afetar substancialmente o sabor e a textura. Em produtos embutidos, elas podem ser substituídas por compostos sintéticos, proteínas não cárneas, como soja, ou ainda por carboidratos, como o amido.


Quanto aos conservantes, há alternativas de substituição?

Não
Sim

Resposta:

Entre as estratégias para reduzir o teor de sódio, está a substituição parcial do NaCl por outros componentes que tenham efeitos similares. Já no caso do nitrito de sódio, pesquisas recentes apontaram que agentes naturais teriam efeito similar no combate às bactérias. “O extrato de alecrim tem uma potente atividade antioxidante e está sendo amplamente utilizado na indústria de alimentos”, conta Victorino.

Algumas pessoas poderiam pensar que aquele pequeno frigorífico do bairro, ou o vizinho que produz linguiça no fundo do quintal, mesmo que não sejam fiscalizados, produzem algo mais saudável, ou mais “orgânico”. De acordo com Rodrigues, quem está preocupado com os efeitos do consumo de embutidos e busca mudança de hábitos, deve evitar também o consumo de embutidos produzidos clandestinamente.


Qual o principal motivo para evitar consumir alimentos de frigoríficos não fiscalizados?

Falta de controle da quantidade do sódio e proliferação de bactérias
Mistura de outros tipos de carne e utilização de ingredientes vencidos

Resposta:

Ainda que a mistura de outros tipos de carnes e ingredientes vencidos possa ocorrer pela falta de fiscalização, o que de fato acontece é que, nesses locais, ao contrário das fábricas regulamentadas, não há garantia para o consumidor de que os procedimentos de controle do sódio, conservantes e aromatizantes, ou os que evitam a contaminação da carne por bactérias, são seguidos. Lilian Victorino conta que o papel dos fabricantes é trabalhar “de acordo com a legislação vigente, de modo a proporcionar um produto cárneo seguro para a saúde do consumidor”. Por esse motivo, em locais regulados pelo governo, numa das etapas do processo, há um tratamento térmico que elimina os microorganismos patógenos, como a Listeria monocytogenes, bactéria causadora da doença conhecida como Listeriose.


Existe o perigo dos embutidos carregarem essa bactéria?

Sim
Não

Resposta:


A Listeria monocytogenes recebe atenção especial porque possui a capacidade de formar biofilmes e de colonizar equipamentos e utensílios de produção de carne, caso a limpeza e higienização não seja feita de forma correta. Para evitar a contaminação dos produtos, é necessário que o estabelecimento adote uma série de procedimentos de controle da higiene e manutenção do local. Locais clandestinos, por não seguirem esses procedimentos, se tornam alvos mais fáceis à bactéria, além de produzirem alimentos com níveis alheios ao que a lei estabelece. Desse modo, o que parecia uma alternativa ao que os grandes fabricantes de embutidos produzem, pode, na verdade, carregar ingredientes indesejados para a sua mesa.

 

All 9 questions completed!


Share results:

Você sabe o que vai nessa salsicha?

Want more stuff like this?

Get the best viral stories straight into your inbox!
Don`t worry, we don`t spam
No Comments

Post A Comment